Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

29 de abril de 2010

" A chuva nunca para de cantar..."
(Cordel do fogo encantado)

serra do luar

Amor, vim te buscar
Em pensamento
Cheguei agora no vento
Amor, não chora de sofrimento
Cheguei agora no vento
Eu só voltei prá te contar
Viajei...Fui prá Serra do Luar
Eu mergulhei...Ah!!!Eu quis voar
Agora vem, vem prá terra descansar
Viver é afinar o instrumento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro
A toda hora, todo momento
De dentro prá fora
De fora prá dentro

27 de abril de 2010

Cogito ergo sum

Um dia destes uma paciente me disse, que não há pensamento sem linguagem...
A afirmação despertou imediatamente a minha atenção... Suscitando elucubrações....
Minha Nossa! Antes de “falar em Português” eu não pensava em almês..., então deve ser verdade...Ora, mas eu existia... -- portanto a despeito do que disse Descartes, não pensava, mas existia...
Na adolescência eu parodiava Descartes, dizendo: “Penso logo erro!!”... Que verdadeiro!! E agora – " agora", palavra maravilhosa, cheia de bom agouro, imagino o pensamento como uma pequena ilha no oceano do Self... Alheio a imensidão na alma, ao espírito infinito do que eu não penso e não posso explicar... Mas sinto: dor, medo, desejo, júbilo, alegria, amor...e outras coisas ainda sem nome..., criancinhas sem batismo..., não tem direito ao “céu do ego”....
Minhas bênçãos a todas as coisas sem nome, sem palavra, sem limite!!!
Abençoadas sejam!!!
Gislaine Carvalho Rodrigues

* O amor....



"Por ser exato, o amor não cabe em si..... Por ser encantado, o amor revela-se.... Por ser amor, invade e fim."
(by :Djavan - frase, Eduardo Medeiros - foto)


22 de abril de 2010

Nossa Casa!!


Em uma fase da minha adolescência eu li a bíblia e estudei detalhadamente os cinco primeiros livros, chamados pentateucos..., eu queria entender Deus...Depois, quando já era uma jovem adulta, li a bíblia novamente, tinha desistido de entender Deus, mas estava em minha fase “criadora-de-polemicas” e decidida a desmoralizar o pastor de uma igreja protestante que freqüentava a casa da família.
No “livro sagrado”, tive a oportunidade de aprender muito sobre genocídio, preconceito e crueldade..., porém algumas idéias marcaram-me profundamente, mudando a trajetória do meu pensamento para sempre...
Uma delas está em Mateus cap. 5, ver. 13: “Vós sois o sal da terra e se o sal for insípido, com que se há de salgar?”
O Sal da Terra, SIM!!
Há de se ter gosto!!

(gi)

Sobre as macieras...


Com freqüência pergunto às pessoas: “qual a missão das macieiras?”.
Ao que, normalmente me respondem: “produzir maçãs”. Divirto-me muito com esta idéia...? As pessoas tem que encontrar uma "razão para viver", pois não conseguem perceber que a Vida é condição sine qua non do Sagrado...
Uma macieira um dia foi uma pequena semente que se aninhou no solo...A fertilidade da terra chama a vida para fora da sementinha, que se estica em direção ao céu... Uma macieira foi um pequeno broto que conheceu o Sol e que tocada pelo vento se expandiu... Uma macieira foi uma pequena arvore que conheceu os ciclos da natureza..., dormiu sob o estrelado céu do inverno, abrigou pássaros enamorados na primavera, sombreou a terra quente no verão, viu suas folhas caírem para fertilizar o solo no outono... E frutificará apenas em condições adequadas, em sua maturidade, em boas condições... Ou seja, o fruto é apenas a manifestação perfeita da macieira que frutifica por estar plena, e assim se oferta generosamente em troca fluida com a natureza ao seu redor... E assim são os homens....Não se deve pensar em missão para viver, mas em viver em plenitude e derramar-se para o mundo. Sendo este “sobrar” nunca uma obrigação, mas uma conseqüência natural da fartura que é “ser”... Sinto que a Deusa nos gera com Seus suspiros de amor.. .Somos como as maçãs, resultado da felicidade da Mãe Macieira... Iguais em nossa natureza sagrada, incrivelmente diferentes em nossa originalidade... Aquarela de cores e sons, agraciados com a Vida, com a missão apenas de existir plenamente em nossas singularidades.
Ainda que o "eu" não exista, senão em relação ao "outro", a relação em si não poderá ocorrer sem a feliz expressão deste "eu".
Que a Deusa das Coisas Livres e Singulares abençoe a todos!!
(gi)

20 de abril de 2010



"Não me perguntes nada.
Mas fala-me de tal maneira que se eu fosse surda te ouviria com o coração."
(Cecilia Meireles)

17 de abril de 2010


"Eu me contradigo? Pois muito bem, eu me contradigo. Sou grande. Contenho multidões."

(Frase :Walt WSpencer/ Foto : Tunickhitman)

14 de abril de 2010



“O cristianismo deu veneno de beber a Eros; mas este não morreu,
degenerou-se em vício."
(Nietzsche).

12 de abril de 2010


"Sou a protagonista de minha própria vida... Me vejo como a mocinha, a principal do filme... faço o que iria gostar que ela fizesse. Isso que me dá ânimo para fazer coisas que consideram demais... "loucas". (Patrícia)

A Lua de Tabriz

Com a maré da manhã surgiu no céu uma Lua,
de lá desceu e fitou-me como o falcão que arrebata o pássaro,
essa Lua agarrou-me e cruzou o céu.
Quando olhei para mim, já não me vi.
Naquela lua meu corpo se tornara por graça sutil como a alma.
Viajei então em estado de alma e nada mais vi, senão a Lua.
Até que o segredo do saber divino me foi por inteiro revelado.
As nove esferas celestes fundiram-se na lua
e o vaso do meu ser dissolveu-se inteiro no mar.
Quando o mar quebrou-se em ondas,
a sabedoria divina anunciousua voz ao longe.
Assim tudo ocorreu, assim tudo foi feito.
Logo o mar inundou-sede espumas e cada gota de espuma tomou forma e cor.
Ao receber o chamado do mar, cada corpo de espuma se desfez
e tornou-se espírito no oceano.
Sem a majestade do amado,
não se poderia contemplar a lua e nem tornar-se mar.
( Jalalludin Rumi )

9 de abril de 2010


Tudo me leva a crer que as marcações que nos deram para o desempenho da vida, passam ao lado do caminho por onde os nossos afectos poderiam fluir, conforme o que está escrito no mapa oculto do ser humano. Pressinto que continuamos fora do essencial e que as razões das circunstâncias - que, muitas vezes, são poderosas e reais - só servem para nos afastar dos enigmas que estão à frente das coisas e que nos caberia decifrar. Porque, algumas vezes até parece que a simplicidade emana do andamento da vida e que nos bastaria um pequeno gesto de espírito para passarmos para o lado de lá de tantas incomodidades que nos fazem viver como se tivéssemos calçado dois números abaixo da forma da alma.


António Alçada Baptistain "O Riso de Deus"Fevereiro 1994

7 de abril de 2010

Canção dos Homens - Tolba Phanem

A canção dos Homens
Quando uma mulher, de certa tribo da África, sabe que está grávida, segue para a selva com outras mulheres e juntas rezam e meditam até que aparece a “canção da criança.Quando nasce a criança, a comunidade se junta e lhe cantam a sua canção.Logo, quando a criança começa sua educação, o povo se junta e lhe cantam sua canção.Quando se torna adulto, a gente se junta novamente e canta.Quando chega o momento do seu casamento a pessoa escuta a sua canção.Finalmente, quando sua alma está para ir-se deste mundo, a família e amigos aproximam-se e, igual como em seu nascimento, cantam a sua canção para acompanhá-lo na “viagem”.Nesta tribo da África há outra ocasião na qual os homens cantam a canção.Se em algum momento da vida a pessoa comete um crime ou um ato social aberrante, o levam até o centro do povoado e a gente da comunidade forma um círculo ao seu redor.Então lhe cantam a sua canção.A tribo reconhece que a correção para as condutas anti-sociais não é o castigo; é o amor e a lembrança de sua verdadeira identidade.Quando reconhecemos nossa própria canção já não temos desejos nem necessidade de prejudicar ninguém.Teus amigos conhecem a “tua canção” e a cantam quando a esqueces.Aqueles que te amam não podem ser enganados pelos erros que cometes ou as escuras imagens que mostras aos demais.Eles recordam tua beleza quando te sentes feio; tua totalidade quando estás quebrado; tua inocência quando te sentes culpado e teu propósito quando estás confuso."
( foto de Rosa Gauditano - O Yanomami e o beija-flor)
Pode-se mover a energia do Universo com um suave sopro, mas não com um empurrão...Na verdade a grande dificuldade é que quando desejamos mover a energia, normalmente estamos tão cheios de marra, que assustamos a energia...Tudo tem que ser feito com muito amor.....
Beijos doces...

Gi

4 de abril de 2010

"Todo sofrimento psicológico só existe porque você está dividido. Dor significa divisão e alegria significa nenhuma divisão. Isso pode parecer paradoxal a você: se a pessoa estiver triste, como é que ela pode ficar alegre aceitando sua tristeza? Irá parecer paradoxal, mas é assim. Experimente!Não estou dizendo para tentar ser feliz; não estou dizendo isso, “Aceite sua tristeza para que você possa ser feliz”. – Não estou dizendo isso. Se essa for sua motivação então nada irá acontecer; você ainda estará lutando. Você estará olhando pelo canto de seu olho: “Tanto tempo já passou e eu aceitei até mesmo a tristeza, e estou dizendo ‘Sou a tristeza”, e ainda assim a alegria não está vindo”. Ela não virá desse jeito.
Alegria não é uma meta, é um subproduto. Isso é uma conseqüência natural da integridade, da unidade. Apenas seja um com essa tristeza, por nenhum motivo, por nenhum propósito particular. Não há nenhuma questão de qualquer propósito. É assim que você é nesse momento, essa é sua verdade nesse momento. E no próximo momento você pode ficar zangado: aceite isso também. E no próximo momento você pode ser algo mais: aceite isso também. "

( Osho)



Aceitação...

3 de abril de 2010

"Claro que tudo tem de ser transformado, e transformado através do amor, da felicidade, da alegria. Se você trouxer alegria a sua vida, se cada momento da vida puder ser uma melodia, uma experiência rítmica, então Deus com certeza virá ..."
http://www.palavrasdeosho.com/

1 de abril de 2010

Aproveitem o passeio

 

Alguns dias atrás fiz reciclagem do nível 3 do reiki...Nosso mestre nos orientou a fazer uma visualização enquanto ele nos iniciava. A visualização era longa e em dado momento deveria atravessar um rio em um barco conduzido por um barqueiro, que transmitiria uma mensagem e na seqüência haveria um longo percurso. Seguindo as orientações, cheguei ao rio e fiquei extasiada com tamanha beleza. O rio era largo e sinuoso, suas águas límpidas e esverdeadas brilhavam ao Sol que resplandecia sobre as montanhas, a vegetação rasteira chegava as margens e tudo estava cercado de majestoso encantamento. O barqueiro encapuçado me convidou a embarcar com um gesto leve, colocando o barco em movimento...Ele remava e eu observava impaciente a beleza a minha volta, esperando chegar a outra margem e receber a mensagem...Mas o barqueiro não estava com pressa..., observei-o inquieta..., seu rosto semi coberto  pelo capuz trazia um sorriso discreto...O barco subia o rio, vi uma linda ponte de madeira coberta, enquanto suspirava nervosamente pensando que não daria tempo de terminar o percurso determinado...Mas uma vez olhei irritada para o barqueiro...e então para a minha surpresa ele disse: "aproveita o passeio!" E naquele momento um milhão de coisas passou pela minha cabeça e eu compreendi que não estava "aproveitando o passeio" pelo rio da vida. Na visualização olhei a minha volta com os olhos cheios de lágrimas, agradecida pela existência, totalmente alerta e consciente de ter perdido o contato com a alegria, perdida que estava em cumprir metas...Olhei para o barqueiro com profunda gratidão, antes de desembarcar e seguir o caminho...
Aproveitem o passeio!!!
Gislaine Carvalho Rodrigues

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON