Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

6 de junho de 2015

Pessoa...


A recordação é uma traição à Natureza,
Porque a natureza de ontem não é Natureza.
O que foi não é nada, e lembrar é não ver.

Passa, ave, passa, e ensina-me a passar!

Fernando Pessoa 

Foto: Anna Heimkreiter

18 de abril de 2015


O Sol nunca diz para a Terra,
"Você me deve!"
Olha o que acontece com um amor assim.
Que luzes em todo o céu.

( Provérbio Sufi)
"O futuro não é um lugar para onde estamos indo, mas um lugar que estamos criando. O caminho para ele não é encontrado, mas construído e o ato de fazê-lo muda tanto o realizador quando o destino."
Antoine de Saint Exupéry 

SAWABONA SHIKOBA




“Não é apenas o avanço tecnológico que marcou o início deste milênio. As relações afetivas também estão passando por profundas transformações e revolucionando o conceito de amor. O que se busca hoje é uma relação compatível com os tempos modernos, na qual exista individualidade, respeito, alegria e prazer de estar junto, e não mais uma relação de dependência em que um responsabiliza o outro pelo seu bem estar. A idéia de uma pessoa ser o remédio para nossa felicidade, que nasceu com o romantismo, está fadada a desaparecer neste início de século.

O amor romântico parte de um pressuposto de que somos uma fração e precisamos encontrar nossa outra metade para nos sentirmos completos. Muitas vezes ocorre um processo de despersonalização que, historicamente, tem atingido mais a mulher. Ela abandona suas características, para se amalgamar ao projeto masculino. A teoria da ligação entre opostos também vem dessa raíz: o outro tem que saber fazer o que eu não sei. Se sou manso, ele deve ser agressivo, e assim por diante. Uma idéias prática de sobrevivência e pouco romântica, por sinal.

A palavra de ordem deste século é parceria. Estamos trocando o amor de necessidade, pelo amor de desejo. Eu gosto e desejo a companhia, mas não preciso, o que é muito diferente. Com o avanço tecnológico, que exige mais tempo individual, as pessoas estão perdendo o pavor de ficar sozinhas, e aprendendo a conviver melhor consigo mesmas. Elas estão começando a perceber que se sentem fração, mas são inteiras. O outro, com o qual estabelece um elo, também se sente fração. Não é príncipe ou salvador de coisa nenhuma. É apenas um companheiro de viagem.

O homem é um animal que vai mudando o mundo e depois tem de ir se reciclando, para se adaptar ao mundo que fabricou. Estamos entrando na era da individualidade, o que não tem nada a ver com egoísmo. O egoísta não tem energia própria; ele se alimenta da energia que vem do outro, seja financeira ou moral. A nova forma de amor, ou mais amor, tem nova feição e significado. Visa a aproximação de dois inteiros, e não a união de duas metades. E ela só é possível para aqueles que conseguem trabalhar sua individualidade. Quanto mais o indivíduo for competente para viver sozinho, mais preparado estará para uma boa relação afetiva. A solidão é boa, ficar sozinho não é vergonhoso. Ao contrário, dá dignidade à pessoa. As boas relações afetivas são ótimas, são muito parecidas com o ficar sozinho, ninguém exige nada de ninguém e ambos crescem. Relações de dominação e de concessões exageradas são coisas do século passado.

Cada cérebro é único. Nosso modo de pensar e agir não serve de referência para avaliar ninguém. Muitas vezes, pensamos que o outro é nossa alma gêmea e, na verdade, o que fizemos foi inventá-lo ao nosso gosto.

Todas as pessoas deveriam ficar sozinhas de vez em quando, para estabelecer um diálogo interno e descobrir sua força pessoal. Na solidão, o indivíduo entende que harmonia e paz de espírito só podem ser encontradas dentro dele mesmo, e não a partir do outro. Ao perceber isso, ele se torna menos crítico e mais compreensivo quanto às diferenças, respeitando a maneira de ser de cada um.

O amor de duas pessoas inteiras é bem mais saudável. Nesse tipo de ligação, há o aconchego, o prazer da companhia e o respeito pelo ser amado. Nem sempre é suficiente ser perdoado por alguém. Algumas cvezes temos de aprender a nos perdoar a nós mesmos…

Caso tenha ficado curioso(a) em saber o que significa SAWABONA, é um cumprimento usado no sul da África que quer dizer: “Eu te Respeito, eu te Valorizo, você é importante para mim“. Em resposta, as pessoas dizem SHIKOBA, que é: “Então, eu existo para você“.


Fonte: texto atribuído ao médico psicanalista Flávio Gikovate
Foto: Planeta Humano (Documentário Discovery)

“Abençoado seja o Filho(a) da Luz que conhece sua Mãe Terra
Pois é Ela a doadora da vida
Saibas que a sua Mãe Terra está em ti e tu estás Nela
Foi Ela quem te gerou e que te deu a vida
E te deu este corpo que um dia tu lhe devolverás

Saibas que o sangue que corre nas tuas veias
Nasceu do sangue da tua Mãe Terra
O sangue Dela cai das nuvens, jorra do ventre Dela
Borbulha nos riachos das montanhas
Flui abundantemente nos rios das planícies
Saibas que o ar que respiras nasce da respiração da tua Mãe Terra
O alento Dela é o azul celeste das alturas do céu
E os sussurros das folhas da floresta
Saibas que a dureza dos teus ossos foi criada dos ossos de tua Mãe Terra
Saibas que a maciez da tua carne nasceu da carne de tua Mãe Terra
A luz dos teus olhos, o alcance dos teus ouvidos
Nasceram das cores e dos sons da tua Mãe Terra
Que te rodeiam feito às ondas do mar cercando o peixinho
Como o ar tremelicante sustenta o pássaro
Em verdade te digo, tu és um com tua Mãe Terra
Ela está em ti e tu estás Nela
Dela tu nasceste, Nela tu vives e para Ela voltará novamente
Segue portanto as suas leis
Pois teu alento é o alento Dela
Teu sangue, o sangue Dela
Teus ossos, os ossos Dela
Tua carne, a carne Dela
Teus olhos e teus ouvidos são Dela também
Aquele que encontra a paz na sua Mãe Terra
Não morrerá jamais
Conhece esta paz na tua mente
Deseja esta paz ao teu coração
Realiza esta paz com o teu corpo”.


Evangelho dos Essênios
Foto: Documentário sobre Meio Ambiente - Love Thy Nature

17 de abril de 2015

A melhor forma de ensinar, é ser...
A palavra doce... adoça...
A retórica, chama atenção...
A beleza seduz...
As atitudes, doam medidas.
E a permanência nas medidas, ensina.
Carmem K'hardana.


Os ancestrais ensinam:
O abrutalhado não possui humildade, o acomodado não é piedoso, o envergonhado não pode aprender, o impaciente não pode ensinar e no lugar onde não houver homem, trata você de ser o homem.
Ensinamento 21- K´tawa Kadmon
(Mario Meir) 

28 de março de 2015



O poder é a força e a capacidade de ver a si mesmo através dos seus olhos e não através dos olhos dos outros. Se uma pessoa tem o poder, e não usar, o poder se cristalizará dentro dela e não terá nenhum lugar para onde se dirigir. É então que o poder se torna distorcido e maligno. Aprenda a ver com seus próprios olhos. Liberte a sua energia. 
O Caminho do Xamã.
" A luz que vem das pedras, do íntimo da pedra, 
tu a colhes, mulher, a distribuis 
tão generosa e à janela do mundo.

O sal do mar percorre a tua língua; 
não são de mais em ti as coisas mais.

Melhor que tudo, o voo dos insetos, 
o ritmo noturno do girar dos bichos, 
a chave do momento em que começa o canto 
da ave ou da cigarra (...)"

Pedro Tamen, in "Agora, Estar"

12 de março de 2015


"Benditos os que conseguem se deixar em paz. Os que não se cobram por não terem cumprido suas resoluções, que não se culpam por terem falhado, não se torturam por terem sido contraditórios, não se punem por não terem sido perfeitos. Apenas fazem o melhor que podem. Se é para ser mestre em alguma coisa, então que sejamos mestres em nos libertar da patrulha do pensamento. De querer se adequar à sociedade e ao mesmo tempo ser livre."
Marta Medeiros


7 de janeiro de 2015

a função do amor é fabricar desconhecimento


a função do amor é fabricar desconhecimento

(o conhecido não tem desejo;mas todo o amor é desejar)
embora se viva às avessas,o idêntico sufoque o uno
a verdade se confunda com o facto,os peixes se gabem de pescar

e os homens sejam apanhados pelos vermes(o amor pode não se
importar
se o tempo troteia,a luz declina,os limites vergam
nem se maravilhar se um pensamento pesa como uma estrela
--- o medo tem morte menor; e viverá menos quando a morte acabar)

que afortunados são os amantes(cujos seres se submetem
ao que esteja para ser descoberto)
cujo ignorante cada respirar se atreve a esconder
mais do que a mais fabulosa sabedoria teme ver

(que riem e choram)que sonham,criam e matam
enquanto o todo se move;e cada parte permanece quieta...

Livrodepoemas, de E.E. Cummings
tradução de Cecília Rego Pinheiro
Assírio & Alvim, 1998, pp 125

4 de janeiro de 2015

Mulheres



Por muito tempo estivemos
E ainda estamos
Mas por muito tempo
Estivemos muito mais
Impedidas de ir e vir
Impedidas de ler
Impedidas de escrever
Impedidas de sonhar com
Ganhos e afazeres
Impedidas de saber o mundo
Por um viés que nos foi tirado
Mas havia outro saber e
Por este
Fomos e voltamos
Sobrou-nos o território vasto do secreto
Lemos mãos, ervas, cartas desenhadas
Balançar de árvores, sons de ventos, pulos
De gatos, cor de ágatas, vísceras de aves
Esfumaçar de panelas, e intuições de perigos
Sonhamos todos os sonhos que se escondem
E desenvolvemos as grandes habilidades
Dos oprimidos
Não há fogueiras que nos contenham.
Adriane Garcia

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON