Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

30 de dezembro de 2010

A Jabuticabeira assustada por Carminha Levy


Por 35 anos moramos com nossos seis filhos numa grande casa e havia no quintal,
 entre outras árvores frutíferas, uma jabuticabeira que nunca tinha dado UM fruto. 

A uma certa altura, os filhos casaram, saíram de casa e essa se transformou 
num grande elefante branco, cercada de espaço por todos os lados.

Para ocuparmos o espaço ocioso, resolvemos desmembrar a casa em duas. 
Para tanto precisávamos  eliminar a preguiçosa jabuticabeira que estava 
bem no meio do caminho do nosso projeto.

Meu marido, que tem "dedos verdes" e profunda conexão com o reino vegetal,
 colocou a mão no tronco da dita jabuticabeira e com determinação e um certo pesar disse:
"Sinto muito, mas você não deu um fruto nesses trinta e cinco anos, portanto lamento muito, 
mas vou ter que derrubá-la, pois onde você está ficará nossa nova cozinha."
Passada uma semana, acordamos com um forte cheiro adocicado de
flores que invadia toda a casa.
 Procurando de onde provinha aquele aroma delicioso, pois não havia flores dentro de casa, 
qual não foi nossa surpresa ao depararmos com a jabuticabeira coberta de flores, do tronco aos mais finos galhos, flores essas que se transformaram em tantos frutos que uns expulsavam os outros, lutando por espaço para sobreviver.
Alegres como crianças, chamamos todos os vizinhos e amigos e
 a história se espalhou pelo bairro e
 ainda hoje é contada pelos antigos choferes de táxis como o milagre da jabuticabeira assustada, que ao se ver condenada à extinção, resolveu produzir
maciçamente e até hoje, passados quinze anos,
 continua dando esta florada quatro vezes por ano. 
E isso em pleno Itaim Bibi, cercada de bares, confecções e intenso trânsito.
Desejo à todos meus queridos e amados amigos que em 2011 vocês não precisem levar um susto de sobrevivência para poder fazer desabrochar todos
os seus potenciais aprisionados pela preguiça.
Axé na Luz, Paz, Saúde e Concórdia,
Carminha Levy

...poder


'Poder sobre os outros é a fraqueza disfarçada de força'.

Echkart Tolle




...homenagem a todos os bombados, turbinados, manipulados, alienados...nós humanos...


Que a Deusa das Coisas Selvagens e Naturais nos inspire a sermos o somos e deixarmos ser o que É!


"...de dentro para fora, de fora para dentro..."


Que assim seja!!

29 de dezembro de 2010


 'Um sonhador é aquele que só ao luar descobre o seu caminho e que,
 como punição, apercebe a aurora antes dos outros."
'Oscar Wilde'

27 de dezembro de 2010

Feliz 2011


" Que todos os seres sejam felizes,

Estejam onde estiverem,

Sejam fracos ou fortes.
Altos baixos ou medianos,
Pequenos ou grandes.
Que todos, sem exceção,
Sejam felizes,
Seres visíveis ou invisíveis.
Aqueles que moram perto ou longe.
Aqueles que nasceram,
E que ainda estão por nascer.
Que todos os seres sejam felizes."



"Buda - Metta Sutta"

24 de dezembro de 2010

Feliz Natal!!! Feliz Solsticio de Verão!!!



"O Rei Sol amadurecido abraça a Rainha do verão no amor que é  morte,
 pois ele é tão completo que tudo se dissolve na unica cançao de extase que move os mundos.
Portanto, o Senhor da Luz morre para si mesmo e

 navega através dos mares misteriosos do tempo, 
buscando a ilha da Luz que é o renascimento.
Giramos a roda e partilhamos seu destino, 

pois plantamos as sementes de nossas proprias transformações e,
 a fim de crescermos, devemos aceitar até mesmo a partida do Sol."

Façam pedidos as Fadas.....
Um maravilhoso Natal a todos!!
Que o Amor abençoe  os  nossos corações, nossos lares, nossa querida Mãe Terra!!
Que se faça a alegria, que se faça a paz!!
Que assim seja!!!

16 de dezembro de 2010

filtro dos sonhos



Uma aranha fiava sua teia próximo à cama da avó Nokomi. 


Todos os dias ela observava a aranha trabalhar. 
Alguns dias depois, o neto entrou e, ao ver a aranha na teia, 
pegou uma pedra para matá-la. Mas a avó não deixou. 
O garoto achou estranho, mas respeitou o seu desejo. 
A velha mulher voltou-se para observar mais uma vez o trabalho do animal e, 
então, a aranha falou: 
“Obrigada por salvar minha vida. Vou dar-lhe um presente por isso. Na próxima Lua nova vou fiar uma teia na sua janela. Quero que você observe com atenção e aprenda como tecer os fios. Porque esta teia vai servir para capturar todos os maus sonhos e as energias ruins. O pequeno furo no centro vai deixar passar os bons sonhos e fazê-los chegarem até você."
Quando a Lua chegou, a avó viu a aranha tecer sua teia mágica e, 
agradecida, não cabia em si de felicidade pelo maravilhoso presente: 
“Aprenda”, dizia a aranha.
 Finalmente, exausta, a avó dormiu. Quando os primeiros raios de sol
 surgiram no céu ela acordou e viu a teia brilhando como jóia graças às gotas de 
orvalho capturadas nos fios. A brisa trouxe penas de pomba que também ficaram presas na teia, dançando alegremente e, por último, um corvo pousou na teia e deixou uma longa pena pendurada. 
Por entre as malhas da teia, o Pai Sol sorria alegremente. 
E a avó, feliz, ensinou todos da tribo a fazerem os filtros de sonhos. 
E até hoje eles vêm afastando os pesadelos de muita gente...
E como encontraram 
Tal qual encontrei 
Assim me contaram 
Assim vos contei.

15 de dezembro de 2010

Arquétipo do Curador...



"O arquétipo do grande curador contém sabedoria, bondade, conhecimento, solicitude e todas as outras qualidades associadas a quem cura. Portanto, é bom ser generosa, delicada e solícita como o arquétipo do grande curador. Mas, só até certo ponto. Além desse ponto, esse arquétipo exerce uma influência prejudicial na nossa vida. A compulsão das mulheres no sentido de "tudo curar, tudo consertar" é uma importante armadilha formada pelas exigências a nós impostas pelas nossas próprias culturas, especialmente as pressões no sentido de que provemos que não estamos por aí sem fazer nada, ocupando espaço e nos divertindo, mas, sim, que temos um valor resgatável. Em algumas partes do mundo, pode-se dizer que o exigido é uma prova de que temos valor e, portanto, deveria ser permitido que vivêssemos. Essas pressões são inseridas na nossa psique quando somos muito jovens e incapazes de ter uma opinião sobre elas ou de lhes oferecer resistência. Elas se tornam a lei para nós... a não ser que, ou até que, as desafiemos.
No entanto, os clamores do mundo em sofrimento não podem ser todos atendidos por uma única pessoa o tempo todo. Na realidade, só podemos optar por atender àqueles que nos permitem voltar ao lar com regularidade; em caso contrário, as luzes do nosso coração praticamente se apagam. O que o coração deseja ajudar é às vezes diferente dos recursos da alma. Se a mulher valoriza sua pele da alma, ela irá decidir essas questões de acordo com sua proximidade do "lar" e com a freqüência de sua presença ali."
(Clarissa Pinkola Estes)

13 de dezembro de 2010

Escudo do Oeste


A Estrela da manhã está de pé 
O cheiro de doces trevos vestem os campos
A floresta surge viva 
 
Saboreia-me 
Eu sou o Vento 
Veja-me Eu sou o Urso que fica no Oeste 
Toque-me 
Eu sou o cinzento e magro Alce 
Dançando na floresta 
J. Reuben Silverbird 

Escudo do Oeste


Você é chuva
E você pode trazer fertilidade
Ou pode trazer destruição
Você pode fazer com que o arco-íris venha com toda a sua gloria esplendorosa
com suas cores vívidas e coloridas
Você sente facilidade para tocar
 
Sim, você é a chuva
Você traz a vida para plantas e flores
Para as cachoeiras sem fim
Rios, correntezas que fluem
 
Você é chuva

(J. Reuben Silverbird)

7 de dezembro de 2010

história da vida real....

O  Carcará soberano...


...o ataque do Tesourinha

...o Tesourinha soberano...

Fiquei admirada com a cena que presenciei ( e fotografei ...)..., o Tesourinha expulsou o Carcará...rsrs , então fui pesquisar e encontrei o nome verdadeiro do delicado bichinho:   Tyrannus savana...uhumm...está explicado!!!
Que eu possa me aproximar dos altos trabalhos
 da terra e dos círculos de pedra, como raposa ou mariposa, 
e não perturbar o lugar mais que isso. 
Que meu olhar seja direto e minha mão firme. 
Que minha porta se abra àqueles que habitam fora da riqueza,
 da fama e do privilégio. 
Que os que jamais andaram descalços não encontrem 
o caminho que chega à minha porta. 
Que se percam na jornada labiríntica. 
Que eles voltem. 
Que eu me sente ao lado do fogo no inverno e 
veja as achas brilhando para o que vier, e nunca tenha necessidade 
de advertir ou aconselhar, sem que me peçam. 
Que eu possa ter um simples banco de madeira, com verdadeiro regozijo. 
Que o lugar onde habito seja como uma floresta. 
Que haja caminhos e veredas para as cavernas e
 poços e árvores e flores, animais e pássaros, 
todos conhecidos e por mim reverenciados com amor. 
Que minha existência mude o mundo não mais nem menos 
do que o soprar do vento, ou o orgulhoso crescer das árvores. 
Por isso, eu jogo fora minha roupa. 
Que eu possa conservar a fé, sempre. 
Que jamais encontre desculpas para o oportunismo. 
Que eu saiba que não tenho opção, e assim mesmo 
escolha como a cantiga é feita, em alegria e com amor. 
Que eu faça a mesma escolha todos os dias, e de novo. 
Quando falhar, que eu me conceda o perdão. 

Que eu dance nua, sem medo de enfrentar meu próprio reflexo. 

Trecho do livro: A Bruxa Solitária, Rae Beth. 

6 de dezembro de 2010


"Eu quase que nada não sei
. Mas desconfio de muita coisa."
 (Guimarães Rosa ) 

3 de dezembro de 2010


“- Sou a Avó Ursa --  apresentou-se a forma.
- Venha dançar comigo, minha filha. Venha morar comigo no alem,
onde não ha fome nem sede.
Eu avistava cada detalhe do seu corpo. Ela meneava a cabeça
amistosamente, mostrava um olhar jocoso, mas eu queria fugir
. - Estou com medo, avó.
- Seguro sua mão e a ajudo a vencer o medo.
Seguiremos juntas pela estrada sagrada.”
(Lynn Andrews)

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON