Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

28 de abril de 2011

bobo de Deus

São Francisco veio falar com o papa, 
e o papa achou que esse homem era um tolo. 
Mas as árvores, os pássaros e os peixes pensavam de maneira diferente. 
Quando São Francisco ia até o rio os peixes saltavam em celebração por sua vinda. 
Milhares de pessoas presenciaram esse fenômeno – 
milhões de peixes saltavam simultaneamente; 
todo o rio ficava tomado por peixes que saltavam simultaneamente. 
São Francisco havia chegado e os peixes estavam felizes. 
E aonde quer que ele fosse os pássaros o seguiam e 
vinham pousar na perna dele, em seu colo.
Eles entendiam esse tolo melhor do que o papa. 
Até mesmo árvores que tinham secado e 
estavam morrendo voltavam a verdejar e a florescer novamente 
se São Francisco chegasse perto. 
As árvores compreendiam que esse tolo não era um bobo qualquer; 
ele era o "bobo de Deus".

...o meu amor é sempre o mesmo...


"O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam."

26 de abril de 2011


"Somos o que fazemos, principalmente o que fazemos para mudar o que somos."
( Galeano)
Ou para desvendar o que realmente somos....

24 de abril de 2011

Todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. 
As palavras que não dão luz aumentam a escuridão. 
 Madre Teresa de Calcutá
OM MANI PADIME RUM : 
"Salve a jóia que vibra no lótus"
Mantra da compaixão divina.
 Melhora a qualidade dos sentimentos. 

23 de abril de 2011

"Jorge sentou praça na cavalaria
E eu estou feliz porque eu também sou da sua companhia
Eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Para que meus inimigos tenham pés, não me alcancem
Para que meus inimigos tenham mãos, não me peguem, não me toquem
Para que meus inimigos tenham olhos e não me vejam
E nem mesmo um pensamento eles possam ter para me fazerem mal
Armas de fogo, meu corpo não alcançará
Facas, lanças se quebrem, sem o meu corpo tocar
Cordas, correntes se arrebentem, sem o meu corpo amarrar
Pois eu estou vestido com as roupas e as armas de Jorge
Jorge é de Capadócia, viva Jorge!
Jorge é de Capadócia, salve Jorge!
Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor
Perseverança, ganhou do sórdido fingimento
E disso tudo nasceu o amor
Ogam toca pra Ogum
Ogam toca pra Ogum
Ogam, Ogam toca pra Ogum
Jorge é da Capadócia"


Salve, meu Pai!!!

22 de abril de 2011

Quem dera pudesse todo homem compreender, ó Mãe...


"Um dia vivi a ilusão de que ser homem bastaria
Que o mundo masculino tudo me daria
Do que eu quisesse ter
Que nada, minha porção mulher que até então se resguardara

É a porção melhor que trago em mim agora
É o que me faz viver

Quem dera pudesse todo homem compreender, ó mãe, quem dera
Ser o verão no apogeu da primavera
E só por ela ser

Quem sabe o super-homem venha nos restituir a glória
Mudando como um Deus o curso da história
Por causa da mulher

Quem sabe o super-homem venha nos restituir a glória
Mudando como um deus o curso da história
Por causa da mulher"
( G. Gil)

20 de abril de 2011

sobre as rosas...



E disse o Pequeno Príncipe diante do jardim onde haviam muitas e muitas rosas parecidas com a sua:

"- Vós não sois absolutamente iguais à minha rosa, vós não sois nada ainda. Ninguém ainda vos cativou, nem cativastes a ninguém. Sois como era a minha raposa. Era uma raposa igual a cem mil outras. Mas eu fiz dela um amigo. Ela á agora única no mundo.
E as rosas estavam desapontadas.
  - Sois belas, mas vazias, disse ele ainda. Não se pode morrer por vós. Minha rosa, sem dúvida um transeunte qualquer pensaria que se parece convosco. Ela sozinha é, porém, mais importante que vós todas, pois foi a ela que eu reguei. Foi a ela que pus sob a redoma. Foi a ela que abriguei com o pára-vento. Foi dela que eu matei as larvas (exceto duas ou três por causa das borboletas). Foi a ela que eu escutei queixar-se ou gabar-se, ou mesmo calar-se algumas vezes. É a minha rosa.
E voltou, então, à raposa:
- Adeus, disse ele...
- Adeus, disse a raposa. Eis o meu segredo. É muito simples: só se vê bem com o coração. O essencial é invisível para os olhos.
- O essencial é invisível para os olhos, repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Foi o tempo que perdeste com tua rosa que fez tua rosa tão importante.
- Foi o tempo que eu perdi com a minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar.
- Os homens esqueceram essa verdade, disse a raposa. Mas tu não a deves esquecer. Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas. Tu és responsável pela rosa...
- Eu sou responsável pela minha rosa... repetiu o principezinho, a fim de se lembrar."

"Quando a gente lhes fala de um novo amigo, elas jamais se informam do essencial. 
Não perguntam nunca: 
"Qual é o som da sua voz? Quais os brinquedos que prefere? 

Será que coleciona borboletas?"
 Mas perguntam: "Qual é sua idade? Quantos irmãos ele tem? Quanto pesa? Quanto ganha seu pai?"
 Somente então é que elas julgam conhecê-lo. 
Se dizemos às pessoas grandes: "Vi uma bela casa de tijolos cor-de-rosa, gerânios na janela, pombas no telhado..." elas não conseguem, de modo nenhum, fazer uma idéia da casa. 
É preciso dizer-lhes: "Vi uma casa de seiscentos contos". 
Então elas exclamam: "Que beleza!""
"O que é a maldade?
Maldade é impedir alguém de fazer o que ele pode,
é impedir este alguém efetue a sua potência.
Portanto não há potências ruins, há poderes maus.
E talvez, todo poder seja mau por natureza.
Talvez seja muito fácil dizer isso, 
mas a confusão entre poder e potência é arrasadora,
por que o poder separa sempre as pessoas"
( Deleuze)

14 de abril de 2011


Assovia o vento dentro de mim.
Estou despido.
 Dono de nada, dono de ninguém, nem mesmo dono de minhas certezas,
 sou minha cara contra o vento, a contravento, 
e sou o vento que bate em minha cara.
( Galeano)

"Há aqueles que crêem que o destino descansa nos joelhos dos deuses, 
mas a verdade é que trabalha,
 como um desafio candente, sobre as consciências dos homens."

medo


[y1phhya6fxMvgS9F74Ge5xzJb-EDd0CasaY5JQGmC38QFUTgO2TQy51CZthY9vmxrVofubpIUZHzv8.jpg]

"A Resistência se alimenta do medo...

Medo das consequências de seguir nosso coração... 
Medo de ultrapassar o ponto de onde não há mais volta, depois do qual não podemos renunciar,
 não podemos voltar atrás... Medo da loucura... Mas estes não são medos reais... 
O medo real é o medo de que sejamos bem sucedidos... 
De que possamos acessar as forças que secretamente sabemos que possuímos...
 De que possamos nos tornar a pessoa que sentimos em nossos corações que realmente somos... 
Tememos porque, se for verdade, seremos afastados de tudo que conhecemos...
 Sabemos que, se abraçarmos nossos ideais, teremos que nos mostrar dignos deles."

12 de abril de 2011

...centro...


Placas para todas as direções 1024x768 Papel de Parede Wallpaper
Não foi por acaso que o meu sangue que veio do Sul

Se cruzou com o meu sangue que veio do Norte
Não foi por acaso que o meu sangue que veio do Oriente
Se cruzou com o meu sangue que veio do Ocidente
Não foi por acaso nada de quem sou agora


( Almada Negreiros )

9 de abril de 2011


"Borboleta parece flor

Que o vento tirou pra dançar
Flor parece a gente
Pois somos semente do que ainda virá"


Ahh.....e o mundo é perfeito!!!!!

7 de abril de 2011


"Na parede de um botequim de Madri, um cartaz avisa: Proibido cantar.

Na parede do aeroporto do Rio de Janeiro, um aviso informa:
É proibido brincar com os carrinhos porta-bagagem.
Ou seja: ainda existe gente que canta, ainda existe gente que brinca."
( Galeano)

5 de abril de 2011

e assim deve ser o amor...



Lao Tsu estava viajando com seus discípulos e chegaram a uma floresta onde centenas de carpinteiros estavam cortando árvores, pois um grande palácio estava sendo construído.
Quase toda a floresta já havia sido cortada, mas havia uma árvore ainda de pé, uma grande árvore com milhares de galhos – tão grande que dez mil pessoas poderiam sentar-se à sua sombra. Lao Tzu pediu a seus discípulos que fossem inquirir por que está árvore ainda não tinha sido cortada, quando toda a floresta havia sido cortada e a floresta estava deserta.
Os discípulos perguntaram aos carpinteiros, “Porque vocês não cortaram essa árvore?”
Os carpinteiros disseram, “Essa árvore é absolutamente inútil. Sua madeira não pode ser trabalhada porque cada galho têm muitos nós. Nada é reto. Você não pode fazer colunas ou pilares dela, e também não serve para fazer móveis. Você não pode queimá-la, pois a fumaça faz muito mal aos olhos. Então essa árvore é absolutamente inútil. Eis porque.”
Quando os discípulos voltaram e contaram isso a Lao Tsu, ele riu e disse, “Se vocês quiserem sobreviver nesse mundo, sejam como essa árvore: completamente inúteis. Assim ninguém irá querer prejudicar vocês. Se forem retoes e alinhados serão cortados, irão virar mobília na casa de alguém. Se forem belos, serão vendidos no mercado, se tornarão objetos. Sejam como esta árvore. Assim ninguém irá lhes fazer mal. E vocês poderão crescer, tornando-se grandes e vastos, e milhares de pessoas poderão encontrar uma sombra ao lado de vocês.”





"Um homem da aldeia de Neguá・ no litoral da Colômbia,
 conseguiu subir aos céus. Quando voltou, contou. 
Disse que tinha contemplado, lá do alto, a vida humana.
E disse que somos um mar de fogueirinhas.
 — O mundo é isso — revelou — Um montão de gente, um mar de fogueirinhas. 
Cada pessoa brilha com luz própria entre todas as outras.
 Não existem duas fogueiras iguais.
 Existem fogueiras grandes e fogueiras pequenas e fogueiras de todas as cores.
 Existe gente de fogo sereno, que nem percebe o vento,
 e gente de fogo louco, que enche o ar de chispas.
 Alguns fogos, fogos bobos, não alumiam nem queimam; 
mas outros incendeiam a vida com tamanha vontade que é impossível 
olhar para eles sem pestanejar, e quem chegar perto pega fogo. "
Eduardo Galeano 

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON