Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

25 de agosto de 2011

desassossego


Havia achado que morrer de amor não 
era outra coisa além de uma licença poética. 
Naquela tarde de regresso para a casa outra vez, 
sem o gato e sem ela, comprovei que não apenas era possível,
 mas que eu mesmo, velho e sem ninguém, 
estava morrendo de amor.
 E também percebi que era válida a verdade contrária: 
não trocaria por nada nesse mundo as delícias do meu desassossego.
 Havia perdido mais de quinze anos 
tratando de traduzir os cantos de Leopardi, 
e só naquela tarde os senti a fundo:
 Ai de mim, se for amor, como atormenta.
( Memórias de minhas putas tristes - G. G. Marquez)

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON