Era uma vez...

E como encontraram
Tal qual encontrei
Assim me contaram
Assim vos contei...

23 de março de 2011


"Há um verso em for colores girls who have considered suicide/
 when the rainbow is enough, de Ntozake Shange. 
Na peça, a mulher de roxo fala depois de lutar para lidar com todos os aspectos físicos 
e psíquicos de si mesma que a cultura ignora ou deprecia. 
Ela resume com estas palavras sábias e pacíficas:

here is what i have...
poems
big thighs
lil tits
&
so much love

(é isso o que tenho.../poemas/coxas grossas/peito pequeno/&/tanto amor)

É esse o poder do corpo, o nosso poder, o poder da Mulher Selvagem. 
Nos mitos e contos de fadas, as divindades e outros espíritos poderosos testam o coração dos seres humanos ao aparecer sob diversas formas que disfarçam sua natureza divina. 
Aparecem usando mantos farrapos, faixas de prata ou com os pés enlameados.
 Aparecem com a pele morena como madeira escura, ou em escamas feitas de pétalas de rosas, como uma frágil criança, como uma velha de um amarelo-esverdeado, 
com um homem que não sabe falar ou como um animal que sabe. Os grandes poderes estão querendo descobrir se os seres humanos já aprenderam a reconhecer a grandeza da alma em todas as variações.
A Mulher Selvagem aparece em muitos tamanhos, formas, 
cores e condições. Mantenha-se alerta para poder reconhecer a
 alma selvagem em todos os seus inúmeros disfarces."

Clarissa Pinkola Estés

SOBRE DIREITOS AUTORAIS

As fotos, figuras, textos, frases visualizadas neste blog, são de autorias diversas. Em alguns casos não foram atribuidos os créditos devidos por ignorância a respeito de sua procedência. Se alguém tiver
alguma objeção ou observação por favor contatar-me.
Namastê























CURRENT MOON